Papel do Laboratório Clínico na Promoção da Saúde

Dr Adagmar Andriolo alerta para aumento da nefrolitíase infantil

- 06/09/2023

Em mesa redonda no primeiro dia do 55º Congresso de Patologia Clínica e Medicina Laboratorial da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica e Medicina Laboratorial (SBPC/ML), no dia 05/09, em São Paulo, o professor doutor em Patologia (USP), dr Adagmar Andriolo abordou a nefrolitíase ou calculose, que atinge uma a cada mil crianças e gera uma a cada 7500 internações. De acordo com o especialista, a incidência vem aumentando entre elas.

“Não há muita diferença entre gêneros, mas localização geográfica, etnia e condição socioeconômica são elementos importantes que geram diferenças nas taxas de prevalência nos diversos locais do mundo”, afirmou o médico.

As anormalidades metabólicas mais comuns são hipercalciúria, hiperoxalúria, hipocitratúria, cistinúria e hiperuricosúria.  Anomalias anatômicas, fatores ambientais, processos infecciosos, isolados ou em associação também contribuem.

A urina normal possui substâncias inibidoras e promotoras de cristalização. E o equilíbrio entre elas, o pH, o fluxo urinário e o grau de saturação urinária em relação a alguns íons são as variáveis determinantes. O baixo risco de nefrolitíase se dá quando há urina diluída, pH dentro do intervalo fisiológico e concentrações de agentes inibidores adequadas, como citrato, magnésio, pirofosfato, nefrocalcina, fitatos e certos glicosaminoglicanos.

“Entre os fatores genéticos que elevam o risco da nefrolitíase estão: doença de Dent, hiponagnesemia familial, acidose tubular renal distal primária, e hiperoxalúrias. Há ainda fatores anatômicos e fatores ambientais, como as dietas hiper proteica, ou com excesso de carboidratos, sódio e oxalato. O baixo volume urinário – de menos de 15 ml /kg por dia é outro fator agravante. Isso tem que ser bastante alertado aos cuidadores das crianças”.

Os metabólicos são responsáveis por 80% a 90% dos cálculos urinários. E entre agentes causadores de infecção há diversos agentes causadores como bactérias, sendo a Escherichia Coli frequente em 68,4% dos casos. Entre os tipos de cálculos 75% dos casos são por oxalato de cálcio.

Lista de Notícias Vazia